sábado, 25 de fevereiro de 2012


02:25 da madrugada e eu me pego pensando em quando nós dois éramos felizes, algumas semanas atrás ao certo. Fizemos planos durantes meses e mais meses, sonhávamos acordados sobre um futuro que seria perfeito na nossa cabeça. Planejávamos casar, ter vários filhos e morar numa casa somente nossa. Criávamos cenas na nossa imaginação na esperança de que um dia elas iriam acontecer. Há 8 meses atrás mais ou menos só existia você na minha vida, você era o homem que eu queria que fosse meu pro resto da vida, e eu não tinha medo de falar isso, eu tinha muita convicção sobre esse meu sentimento. Tivemos tantas brigas, desentendimentos por coisas tão bobas e sem sentido. Coisas que a gente tirava de letra e no dia seguinte já estava tudo bem entre nós. Era sempre assim, eu pedia desculpa mesmo estando certa e você errado, mais eu pedia desculpa. Era você que eu queria pra minha vida, era com você que eu queria envelhecer e ser feliz pro resto da vida. ERA você. Você se lembra de quando você se importava comigo? Você se lembra de quando eu realmente era importante na sua vida? Se é que um dia eu fui importante pra você…Você esqueceu de nós com uma facilidade tão grande que nem dá pra acreditar. Eu cresci muito nesse tempo que ”estive” com você, eu aprendi muita coisa sobre a vida, coisas que nunca vou esquecer, por mais que eu queira (…) A distância é um obstáculo muito grande quando se ama alguém, você sofre, chora, passa noites acordadas pensando naquela pessoa, deixa de fazer coisas por aquela pessoa, deixar muitas vezes de sair pra se divertir somente pra esperar aquela pessoa entrar no msn. Há mais ou menos 1 mês e meio atrás tudo mudou, o sentimento diminuiu somente por sua culpa, sim eu te culpo por isso. Posso estar cometendo o maior erro dizendo isso, mais é o que eu sinto. Você mudou de uma forma que eu jamais imaginaria que fosse mudar. Sabe quando você se sente ignorada pela pessoa que você daria a vida? Então, eu me sentia assim. Era uma tortura pra mim te ver online no msn e você simplesmente fingir que eu não existia, meu orgulho é grande e me impedia de te chamar, e isso durou umas longas semanas. Todas as noites eu deitava a cabeça no travesseiro com aquela imensa preocupação, eu queria saber de você, saber se você estava bem, como tinha sido o seu dia, queria conversar com você como costumávamos conversar antes, mas eu não sabia como. Talvez se você tivesse se importado um pouco mais eu não teria desistido. Eu sei que você jamais vai ler isso e eu nem sei se quero que você leia, mas sabe todos aqueles sms’s apaixonados que você me mandava? Eu não apaguei nenhum, não consigo, e isso é torturante pra mim. Lembra também das nossas fotos? Então, eu tenho elas no meu celular ainda. E lembra aquele urso que você me deu? Então, eu tenho ele ainda. Não consegui me desapegar de nada que veio de você ainda. Ainda. Você fez parte da minha vida, talvez a melhor fase dela, em partes. Nossa última conversa (…) dói só de lembrar, foi a minha pior conversa. A cada palavra que você escrevia eu me segurava pra não chorar pra minha mãe não ver, eu segurava minha lágrimas pra ninguém perceber e quando parecia que ia escorrer eu corria pro banheiro, criancice? Não, medo. Medo de perguntarem o porque das lágrimas e eu chorar mais ainda tendo que explicar os motivos. E o que mais me dói é saber que você não me valorizou, não acreditou no meu amor por você que nem se quer correu atrás. Eu te amei por muito tempo e sempre vou te amar, mais não da mesma forma que eu te amei à um tempo atrás. Eu desisti de nós porque fui fraca, não agüentava mais sofrer pela sua ausência, a distância interferiu um pouco mais outros motivos influenciaram ainda mais. Não sei por que eu quis escrever isso, senti uma necessidade de por pra fora só isso, de chorar enquanto digitava, mas quem se importa? Ninguém. E essa vai ser mais uma noite que eu vou dormir com os olhos cheios de lágrimas e acordar na esperança de que o dia de amanhã eu possa sorrir sem ninguém saber que eu passei a noite chorando. Eu precisava desabafar.

Andressa Morais

2 comentários:

  1. Lindo texto , pena que é grande demais e até menor que minha preguiça (=

    descobrindofelicidade.blogspot.com.br

    ResponderExcluir